Ainda sobre a Mouraria, discurso de João Menezes, director do projecto Ai Mouraria, a regeneração em vigor naquele bairro da cidade de Lisboa, argumentou na edição do fugas do jornal Público de dia 28 de Julho de 2012 o seguinte:
«P - Como é que estão a lidar com as questões mais problemáticas da zona, como a prostituição e o tráfico de droga?
J.M. - “Quanto à droga o que fizemos foi reconhecer que existem dois grupos distintos, um composto por pessoas de fora do bairro e outro mais local”,
explica João Menezes. “O nosso programa é inclusivo, por isso no que diz respeito aos moradores, gostaria-mos, tal como as prostitutas, que passassem a ter outro tipo de actividades. Em relação ao grupo de fora, o nosso objectivo não é inclusivo. Não sendo habitantes nem agentes com um papel construtivo aqui, são apenas um caso de polícia»

Ainda sobre a Mouraria, discurso de João Menezes, director do projecto Ai Mouraria, a regeneração em vigor naquele bairro da cidade de Lisboa, argumentou na edição do fugas do jornal Público de dia 28 de Julho de 2012 o seguinte:

«P - Como é que estão a lidar com as questões mais problemáticas da zona, como a prostituição e o tráfico de droga?

J.M. - “Quanto à droga o que fizemos foi reconhecer que existem dois grupos distintos, um composto por pessoas de fora do bairro e outro mais local”,

explica João Menezes. “O nosso programa é inclusivo, por isso no que diz respeito aos moradores, gostaria-mos, tal como as prostitutas, que passassem a ter outro tipo de actividades. Em relação ao grupo de fora, o nosso objectivo não é inclusivo. Não sendo habitantes nem agentes com um papel construtivo aqui, são apenas um caso de polícia»